Reticências – Por Heleny Galati

Ela enrola o xale em torno,
Passando pelo corpo caído, perdido.
Deseja um ponto e um espaço,
Não sabe onde será o próximo ano.

Ela se levanta da cadeira, não caminha.
Empurra a vida, empurra tudo,
Protelando sempre o que tem que ser
Quem quer um pedaço?
Do pão amanhecido, do casaco descolorido
Do cabelo esbranquiçado.
Quem quer a revolta tardia

Quem? Onde?

Neve cobre a pedra, macio regalo
Da terra onde queria ser
Ela se enrola no xale, caminha,
Pula, rejubila entre pústulas.
Pinga na terra o sangue,
não frutifica, não justifica.
Ela enrola o xale e parte.

Heleny Galati

3 comentários sobre “Reticências – Por Heleny Galati

O que você achou do post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s