Um coração com saudade…

Hoje o meu coração acordou repleto de saudade…

Não daquilo que já aconteceu e me faz falta, mas sim do que minha memória ainda anseia em aplaudir…

Senti vontade de saber se continuarei sozinha, aguardando por sinais de procura ou por um abraço caloroso de domingo…

Minha janela amanheceu nostálgica, com sabor de carícias, planos e palavras doces…

E eu, alma que jamais resiste às tentações do amor, suspirei um leve sorriso ao pensar que a sua lembrança é o que há de mais vivo em mim!

As minhas contradições…

Sou a esfera que se consagra em meio a tantas rotinas quadradas e mal feitas…

Ao mesmo tempo, desespero-me para encontrar sentido entre os raios e circunferências inconstantes da vida.

Te espero em forma de miragem calcada na brisa, mesmo sabendo que podes demorar a chegar perto daqui…

Na verdade, me pergunto como posso aguardar por ti, se nem me encontrei ainda…

Não sei onde estou… Será que consegues me avistar de tua janela?

Sinto que preciso de um norte para amansar minhas tão manifestas contradições, mas talvez não seja capaz de encontrá-lo sozinha…

É bem possível que precise do teu ombro para desembaçar as lentes do coração!

Por favor, vem me tirar desse emaranhado que nem me esforço mais em entender…

Todas as explicações existentes aqui dentro serão, de alguma forma, mais claras para ti do que foram para mim!

Devaneios…

Sou o poema que ainda não foi escrito…

Considero-me aquela tentativa de versos que quase puderam ser recitados, mas se calaram na voz do poeta…

Ainda não fui a muitos lugares, que aguardam ansiosamente por minha chegada, antes que o sol se vá!

Sou a vontade, o desejo e a sedução do momento, pois o instante é o que existe de mais pleno dentro da minha solidão…

Leve-me com você…

Se, um dia, você me encontrar sentada no banco da praça
E sentir uma grande vontade de permanecer ao meu lado
Não evite, não fuja, apenas fique
Aproxime-se e enlace meu corpo sem hesitar

Quando eu te olhar assim, de relance, sem disfarce
Por favor, não finja simplesmente que nada aconteceu
Diga que também me ama
E que tudo isso será para sempre

No momento em que eu decidir largar tudo e ir embora
É melhor que não pense duas vezes antes de me chamar
Leve-me com você, para onde quer que seja
Não me abandone nunca mais…

Para cada texto, uma história…

As pessoas geralmente me perguntam onde busco inspiração para escrever cada um de meus textos…

Acredito que, assim como acontece com muitos que se dedicam a essa arte, minha fonte de idéias acaba sendo a própria vida em si!

Logicamente, não basta apenas observar os acontecimentos de forma inerte, afinal, se assim fosse, haveria muito mais escritores no mundo (por mais que eu acredite que todos tenham a capacidade e o talento de colocar as idéias no papel)…

Para escrever, é necessário que o indivíduo se proponha a sentir a vida pulsando dentro da alma, transmitindo pedaços de sua própria trajetória ao universo que o cerca…

Portanto, cada texto brota por meio de uma história vivenciada – ou, tão somente, desejada. Por vezes, os desejos e vontades provocam sensações muito mais extasiantes que o fato em si…

O mais importante, talvez, seja nunca deixarmos de vislumbrar possibilidades, sonhos e emoções. São eles o alimento e a ferramenta do escritor, onde quer que ele esteja, não importa aonde vá!

Que possamos sempre manter acesa a chama da imaginação – para que nasça amor em uma história que era apenas indiferença… para que surja alegria onde existia só tristeza e, finalmente, para que a paixão deixe de ser, por segundos, apenas lenda dentro da mente humana!

Posso entrar?

Se eu chegar bem de mansinho e bater levemente à porta, será que você me deixa entrar?

Haveria um espaço qualquer no seu emaranhado rotineiro para receber minha visita, ainda que fosse por pouco tempo?

Se eu trouxesse um buquê de margaridas acompanhado de vinho branco para brindarmos a noite, seria mais fácil você me permitir subir até o seu andar?

Não me importo se não tiver cama e eu não puder ficar para dormir… Quero apenas fazer uma visita daquelas que não se esquece jamais, para você sempre me ter em um cantinho especial dentro do seu coração!

E, se o momento for sublime, você me autoriza a voltar outras vezes? Prometo variar os tipos de flores e trazer aqueles chocolates sortidos que tanto te apetecem!

Sabe… Talvez tudo isso seja bom demais e eu te acostume mal… Mas, se você gostar da idéia, posso ficar para sempre na sua vida?

Tome os minutos que quiser para pensar e decidir… Mas lembre-se: minha alma já tocou a sua há tempos, mesmo antes de percebermos! Nesse caso, melhor darmos ouvidos à nossa velha e conhecida percepção…

Olhe, repare! Estou entrando, bem devagarzinho…

Prometo me comportar bem!

Amando…

Os meus versos são tão seus que se confundem em meio ao processo criativo do amor em si…

São linhas tão pretensiosas, envoltas por um círculo vicioso que nunca cessa.

E, afinal, por que haveria de cessar?

Se todas as nossas noites se transformam em júbilos…

Se todos os cantos emudecem no silêncio da troca e nada mais é tão real quanto a permissão para te amar…

Não há mesmo por que deixar de lado esse ato tolo de gostar de você!